vírus pode estar relacionada com a Obesidade

A proliferação de um vírus pode estar relacionada com a Obesidade?

Pesquisadores descobriram novas evidências de uma doença que tem chamado de “infectobesidade”, ou seja, a obesidade transmitida de pessoa para pessoa, como uma infecção.

Uma cepa de adenovirus, número 36, parece ser a responsável e, por isso, lhe foi denominado como o “bicho gordo”.

Cientistas da Universidade da Califórnia, em San Diego, descobriram que crianças que mostraram indícios de infecção por adenovirus 36 tinham mais probabilidades de ser obesos. Em testes realizados em 124 menores de 18 anos, o vírus estava presente em mais de 20% dos que eram obesos, em comparação com menos de 6% em outros. Entre os infectados com adenovirus 36, 4 de cada 5 eram obesos.

Os menores portadores pesavam, em média, quase 25 quilos a mais do que os não portadores. Entre os obesos, que constituíam a metade do total, os que portavam o vírus pesavam, em média, 17 quilos a mais que os outros.

Jeffrey Schwimmer, professor associado de pediatria clínica, que liderou o estudo, disse: “Este trabalho ajuda a pontuar que o peso corporal é mais complicado do que se pensa.

E já é hora de que deixemos de dar culpas e procuremos elevar o nosso nível de entendimento para apoiar melhor os esforços de prevenção e tratamento. Esses dados acrescentam credibilidade ao conceito de que uma infecção pode ser a causa ou fator que contribua para a obesidade”, afirmou.

A idéia de uma causa viral da obesidade foi apresentada pela primeira vez há uma década por Nikhil Dhurandhar, hoje professor do Centro Pennington de Pesquisa Biomédica, em Louisiana. Esse cientista observou que os frangos que morreram durante uma epidemia de gripe na Índia, na década de 1980 –causada pelo adenovirus–, eram gordos, e não finos e secos, como seria de se esperar.

Estudos posteriores revelaram que uma de cada cinco pessoas obesas apresentava sinais de infecção por adenovirus e pesava em média, 14 quilos mais do que outras que nunca foram infectadas.

Os céticos fizeram notar, então, que nunca se tinha vinculado a um vírus com uma doença de longo desenvolvimento, como a obesidade. O doutor Dhurandhar respondeu que a evidência era tão clara como um mapa dos Estados Unidos, onde a epidemia de obesidade “se espalhou como um incêndio florestal, da costa leste à oeste nos 20 anos anteriores”.

Estudos de laboratório mostraram que o vírus infecta células adiposas imaturas e as impulsiona a proliferar e crescer com maior rapidez. “Esse pode ser o mecanismo da obesidade, mas são necessários mais estudos”, disse o professor Schwimmer.

Tam Fry, porta-voz do Fórum Nacional de Obesidade, disse que “A obesidade é multifatorial. Os genes predispõem a ela, como os antecedentes familiares. Em seguida, vem o ataque da indústria de alimentos e da publicidade. É muito valioso, que tantos cientistas possível investigar cada um em seu campo particular, em busca das causas.”