A Verdade Sobre A Frutose E A Obesidade A Verdade Sobre A Frutose E A Obesidade

Se alguma vez você já se preocupado com o consumo de açúcar, certamente, você chegou a verificar nas redes sociais e ter ouvido falar do Dr. Robert H. Lusting quem foi o médico que deu uma das conferências mais conhecidas sobre nutrição a qual tem por nome – Açúcar:

A Verdade pode ver o vídeo no Youtube tem uma duração de hora e meia, mas vale a penar dar uma olhada nesta revisão foi vista por mais de 4 milhões de pessoas este vídeo fala sobre o açúcar e o seu consumo tornou-se uma epidemia, que causa a obesidade e outras doenças.

Desde que foi postado o vídeo, até à data, foram realizadas inúmeras pesquisas sobre os danos que causa o açúcar no corpo, mas em especial a frutose.

Através deste escrito, vou tentar resumir os pontos mais importantes sobre o que fala o Dr. Lusting

A INSULINA, A LEPTINA E O CÉREBRO

o-cerebro-e-a-comidaA leptina é um hormônio que é liberado dentro de sangue que chega ao hipotálamo para enviar um sinal ao cérebro que deve inibir o apetite, porque o corpo tem muitas reservas de gordura e se deve deixar de consumir ou, pelo menos, utilizar a gordura que já está no corpo está hormônio é secretado pelas células de gordura quanto maior for a célula mais leptina se reúne.

O princípio ativo da leptina informa o cérebro que você pode usar a energia das células de gordura e que não deve obter mais energia de outras fontes, se a leptina funciona corretamente se pode usar a energia normalmente.

A leptina é de grande importância para a correta função metabólica, mas quando é secretada em grande quantidade no sangue que isto acontece quando as células de gordura contém muita quantidade da mesma, a leptina não é detectada no sangue e ocorre a resistência à leptina.

Isso é algo que ocorre geralmente em pessoas obesas e que o Dr. Lustig menciona em seu vídeo, que ao ter níveis altos de insulina pode bloquear a ação da leptina, existem algumas pesquisas que apoiam o que menciona o Dr.

Isto é um fator que pode causar a obesidade ao resistir a insulina também existe uma resistência à leptina em excesso não detecta o cérebro e haverá maior quantidade de gordura.

Existem estudos que dão a conhecer que se têm lípidos elevados, especialmente os triglicerídeos pode bloquear a secreção de leptina na corrente sanguínea e está não seja detectada pelo cérebro.

Lembre-se que se se consumir açúcares simples em excesso, e estes não podem ser usados adequadamente e há uma acumulação estas se transformam em ácidos graxos é por isso que podemos dizer que a frutose é um dos principais açúcares que podem causar a elevação dos triglicérides.

O cérebro é um dos órgãos mais complexos do nosso corpo e a forma como regula o balanço energético é difícil de entender, assim, que nem todos os pesquisadores estão a favor desta hipótese, mas em geral a simples vista parece ter sentido, de acordo como explica o Dr. Lustig

CONSUMO EXCESSIVO DE FRUTOSE E SUA RELAÇÃO COM A RESISTÊNCIA À INSULINA

Isso é algo que vai muito da mão com a diabetes mellitus tipo II, lembre-se que uma das principais causas desta doença é a resistência à insulina e que se mantêm níveis elevados de açúcar no sangue.

O Dr. este vídeo demonstra essa relação, lembre-se que quando consumimos açúcar ao passar pelo processo de digestão o açúcar se decompõe a nível intestinal antes de chegar ao sangue e passa por diversas vias metabólicas.

A glicose é necessária para o corpo e é usado como principal fonte de energia, mas a frutose só se pode sintetizar por meio do fígado.

Se nós consumimos a sacarose, que é parte dos açúcares adicionados diversos produtos e xarope de milho, podemos estar seguros de que estamos consumindo frutose.

Se nós comemos apenas pequenas porções de frutose, o corpo pode usá-lo para produzir glicogênio no fígado que pode ser usado pelo corpo como fonte de energia, mas se consumimos grandes quantidades de frutose, o corpo não poderá convertê-la em glicogênio e gerar corpos cetônicos isto significa que a frutose é convertida em gordura porque o fígado já não pode usá-la como fonte de energia.

Isso é preocupante porque a gordura que ocorrerá no fígado se acumulasse em torno deste órgão, provocando o que conhecemos como fígado gordo que, se não for detectada a tempo, pode ser um fator que com o passar dos anos conduza a uma cirrose hepática.

Quando isso ocorre gerar uma resistência à insulina, o que faz com que o pâncreas começa a produzir maior quantidade de insulina e elevar-se em grande forma, os níveis de açúcar.

Há pesquisas realizadas em seres humanos, as quais depois de realizar vários estudos metabólicos, foi descoberto que as pessoas que consomem grandes quantidades de frutose também correm o risco de gerar resistência à insulina, o que se erguesse a glicose no sangue e são alteradas os níveis de lipídios, principalmente colesterol e triglicerídeos.

Uma das doenças mais comuns na atualidade se apresenta ao redor do mundo é a síndrome metabólica, que inclui as doenças mais comuns nas populações e que são a obesidade, a diabetes e as doenças cardiovasculares, em geral, quando vemos uma pessoa com síndrome metabólica, um dos sintomas que apresentam é a resistência à insulina, assim, não é de surpreender que o consumo excessivo de frutose seja uma das principais causas para desenvolver esse problema de saúde e que está afetando não só a certas populações, mas que é um problema que se está observando a nível mundial.

O AÇÚCAR DA FRUTA SERVEM, OS AGREGADOS NÃO!

É importante esclarecer que a frutose é encontrada de forma natural em frutas, a qual não provoca os mesmos efeitos que causam os açúcares adicionados a alimentos processados esta se causa dano, isto é, dependendo da quantidade de frutose que se consuma e o alimento de onde provenha.

Se as pessoas não levam um estilo de vida saudável, e incluem em seu consumo diário de uma boa quantidade de frutose em alimentos processados isto é um fator que predispõe as pessoas a cair na síndrome metabólica entre muitas outras doenças, a principal da obesidade.

As dietas utilizadas pelas pessoas hoje em dia incluem uma variedade de açúcares, portanto, um enorme consumo de frutose.

Mas o Que acontece com a fruta?

Com a fruta não se aplica o mesmo princípio que, com alimentos ricos em frutose, já que embora seja verdade que as frutas contêm a quantidade tende a ser muito pequena, além de conter muita água, a fibra e baixa densidade energética.

O que faz com que o processo de digestão se realize adequadamente, então é quase impossível comer demasiado frutose das frutas, já que o volume e o seu conteúdo, com pouca fruta você vai se sentir saciado e então não poderá acumular muita frutose em seu corpo.

Se as pessoas consomem frutas lhes proporcionasse além de muitos outros benefícios para a saúde como várias vitaminas e minerais, fibras, água, etc.

Se sofre de alguma doença na qual não possa consumir determinado tipo de frutas ou seja intolerante a alguma ou esteja em um regime dietético que você não pode consumir a fruta seria a única razão pela qual as pessoas não devam consumir frutas mas, na realidade, é aconselhável fazê-lo.

O Dr. Lustig está de acordo com isso, menciona que é bom para a saúde o consumir a fruta mesmo que contenha pequenas quantidades de frutose.

Ele menciona que o açúcar adicionado, como a frutose é ruim para a saúde, mas não é o mesmo efeito se consomem alimentos que trazem outros benefícios, como as frutas.