Aumento-de-Peso-na-GravidezAumento de Peso na Gravidez

Ser mãe é um sonho para muitas mulheres, contudo, essa é uma fase da vida que exige bastante entrega emocional e física. Durante a gestação a futura mamãe observa transformações em seu corpo começando pelo ganho de peso. Além de ter aumento de peso devido a presença do feto em crescimento em seu útero a mulher passa a ter retenção de líquidos em seu organismo, aumento de massa muscular no útero, mais sangue circulando entre outras questões físicas.

O peso da gestante antes da gravidez e outros fatores como o Índice de Massa Corporal (IMC) bem como a forma como ganha peso fazem a diferença no tamanho do feto e nas reservas de gordura que ele terá. O peso e as reservas de gordura do bebê são essenciais para determinar os riscos que ele tem de desenvolver doenças. Contudo, é necessário ficar atenta ao ganho de peso durante a gestação uma vez que o aumento demasiado pode ter sérias consequências para a saúde da gestante.

Quantos quilos posso engordar na gravidez

quantos-kilos-posso-engordar-na-gravidezO tanto que a mulher deve ganhar de peso durante a gestação sempre suscitou discussões e preocupações no meio médico. Ao longo das décadas esse assunto foi visto sob diferentes ângulos, mudanças surgiram devido a avanços científicos. Na década de 1930 a medicina não contava com exames profundos e por isso os médicos davam apenas opiniões pessoais indicando que as gestantes deveriam ganhar no máximo 7 kg para evitar problemas como pré-eclâmpsia.

Conforme o tempo passou e a medicina avançou se percebeu que 7 kg era uma margem de ganho de peso muito pequena que podia fazer com que o bebê tivesse o risco de nascer muito pequeno e franzino. A partir dos anos 1980 a indicação era de ganho de no máximo 11 kg durante a gravidez. Nos anos 1990 essa percepção foi novamente rebatida por estudos científicos que sugeriam que o ideal era entre 11 e 16 kg.

Peso ideal na gravidez

Nas últimas décadas os especialistas perceberam que não se pode estabelecer uma margem de ganho de peso para todas as mulheres em geral. O ganho de peso gestacional ideal deve ser analisado de acordo com o índice de massa corporal (IMC) que as mulheres apresentam antes da gravidez. Por exemplo, uma mulher que não apresenta sobrepeso durante a gestação pode engordar mais do que uma que apresenta peso extra. Converse com seu médico para determinar qual é o peso ideal para o caso.

Existe uma dieta para grávidas?

Você já deve ter ouvido essa frase “mulher grávida come por dois”, saiba que essa é a primeira ideia que você deve afastar dos seus pensamentos. Engordar demais durante a gestação pode apresentar riscos para a saúde do bebê e tornar o parto mais difícil. Por isso é tão importante seguir a nossa recomendação de conversar com seu médico a respeito do ganho de peso ideal para o seu caso.

Além de ter estabelecida a sua margem de ganho de peso, que provavelmente ficará entre 8 e 12 kg, é essencial comer bem, afinal seu bebê é o que você come. O mais importante na dieta de uma gestante é ter uma ampla variedade de alimentos que sejam saudáveis e ofereçam nutrientes que ajudem o feto a se desenvolver como deve. Abaixo listamos algumas dicas que podem ser incluídas no seu dia a dia, mas atente para o fato de que uma dieta no sentido literal da palavra somente poderá ser prescrita por seu médico ou nutricionista.

Dicas Para a Dieta da Gestante

  • Intervalo de 3 horas

Todas as pessoas deviam se alimentar a cada 3 horas, porém, entendemos que isso demanda organização e tempo. Procure então manter esse hábito durante a gestação, pois assim você evita a sensação de fome e fornece nutrientes para o seu bebê num intervalo curto de tempo.

  • Combatendo os enjoos

Nos primeiros meses de gravidez a gestante será acompanhada pelos terríveis enjoos e uma forma de combatê-los é deixar biscoitos secos ao lado da sua cama. Assim se acordar com a sensação desagradável basta comer um ou dois desses biscoitos para acalmar o seu estômago.

  • Cereais integrais

As gestantes necessitam de vitaminas do Complexo B e esses cereais são ótimas fontes. Além disso, esses alimentos ajudam a reduzir a sensação de enjoos ao longo do dia.

  • Ferro

Esse é um nutriente fundamental de ter na sua dieta, carne vermelha (de preferência sem gordura) e feijão são ótimas fontes de ferro. Os grãos de uma forma geral podem cumprir essa tarefa.

  • Cálcio

Os ossos da futura mamãe devem estar o mais saudáveis quanto possível e por isso mesmo recomendamos a inclusão de alimentos como leite e derivados em sua dieta.

  • Ácido fólico

Um nutriente fundamental para a formação do tubo neural do seu bebê, você pode encontra-lo em folhas verdes de tom escuro.

  • Inchaço

Um capítulo a parte na vida das futuras mamães, para combater a sensação de inchaço é importante beber bastante líquido, em especial água. Tenha cuidado também com o consumo excessivo de sal na sua dieta.

  • Carnes magras

Para as gestantes que comem carne a dica é apostar em carnes magras como filé de peixe e de frango que contribuem com os nutrientes que seu pequeno precisa e também ajudam a fortalecer a pele evitando as temidas estrias.

  • Atenção aos adoçantes

Embora o consumo excessivo de açúcar não seja positivo o de adoçantes também não fica atrás. Esses produtos contam com substâncias químicas muito fortes em sua composição e por isso mesmo precisam ser aprovados pelo seu médico para fazer parte da sua dieta.

  • Calma para fazer as refeições

Hoje em dia as pessoas estão sempre com pressa, contudo, a calma na hora de se alimentar é essencial para as gestantes. Mastigue bem os alimentos e engula-os com cuidado para não engasgar e para evitar os sintomas da gestação como má digestão e enjoos.

  • Cuidado com gorduras e doces

Sabemos que é natural ter o desejo de comer alimentos com gorduras e excesso de açúcar, mas é fundamental ter cuidado para não exagerar. Esses alimentos podem prejudicar a sua saúde.