Mulher estressadaComo stress pode ser perigoso!

Pesquisadores do Hospital Brigham e de Mulheres, em Boston, garantem que as mulheres com muita pressão de trabalho têm 40 % mais risco de males do coração. Estas mulheres, dizem eles têm 88% mais risco de infarto e mais chances de sofrer derrame cerebral e danos às artérias que necessitem de cirurgia de bypass coronário.

A pressão de trabalho -uma forma de stress psicológico – é definida como o desempenho em um trabalho exigente, que oferece oportunidades limitadas para tomar decisões ou para utilizar as capacidades criativas e individuais da pessoa.

Os cientistas, que apresentaram os detalhes do estudo em uma conferência da Associação Americana do Coração, seguiram para 17 mil 415 mulheres saudáveis durante mais de 10 anos e avaliaram seu nível de pressão no trabalho e a insegurança no trabalho.

Segundo os pesquisadores, a insegurança no trabalho está associada aos fatores de risco de doenças cardiovasculares, como a hipertensão e a obesidade, mas não diretamente a uma má saúde cardiovascular.

E as mulheres com um risco mais elevado de doenças do coração, a longo prazo, são aquelas com trabalhos que se caracterizam por muitas exigências e pouco controle.

Acredita-Se que o estresse pode provocar a liberação de hormônios como a adrenalina e o cortisol, cujos níveis consistentemente elevados podem danificar o sistema cardiovascular.

Podem também aumentar os níveis de inflamação que podem desestabilizar as placas de gordura que se depositam nos vasos sanguíneos, o que pode causar problemas de circulação.

Os especialistas, no entanto, temem que estejam passando por alto as doenças do coração em mulheres, já que muitas vezes se pensa, equivocadamente, que são um problema masculino.

As mulheres talvez apresentam sintomas menos comuns, como dor lombar, sensação de ardor no peito, desconforto abdominal, náuseas e fadiga, o que dificulta um diagnóstico.

É também menos provável que consultem o médico, e quando o fazem, muitas vezes, a doença já está em fases avançadas.

Comportamentos de risco

Estudos anteriores, que haviam voltado a pressão de trabalho e seu efeito sobre os homens, mostraram resultados semelhantes.

A doutora Michelle Albert, assegura que “o emprego pode afetar tanto positiva como negativamente a saúde por isso é importante, como parte de um “pacote” completo de cuidados com a saúde, colocar a atenção para as pressões do trabalho”.

No entanto, alguns críticos acreditam que não é o estresse que causa problemas no coração, mas as condutas doentias -como beber e fumar – em que algumas pessoas recorrem para poder enfrentar a pressão.

Ellen Mason, enfermeira cardíaca da Fundação Britânica do Coração, aponta que ainda se desconhece o exato mecanismo pelo qual o estresse pode alterar a química do corpo para aumentar o risco de doença coronariana.

Mas acrescenta que há cada vez mais pesquisas que sugerem que ele poderia ter um efeito prejudicial na camada que reveste as artérias.