Dietas de baixo índice glucemico

07 Jul 2014

PORQUE ESTA DIETA
Muitas vezes temos uma necessidade urgente de comer algo doce, o nosso corpo nos pede algo que nos sacie e que nos de energias, pois nos sentimos como em um aumento depois de ter passado algumas horas desde a última refeição.

Isso se deve a que a glicose no sangue caiu a níveis que forçariam o corpo a procurar outras rotas metabólicas para fabricá-la, mas como não costumamos usá-los, ele nos pede através da fome, uma nova ingestão de açúcar.

Por isso, a dieta do índice glicémico encontra a sua razão de ser, já que se baseia em carboidratos, mas tentando buscar aqueles que fornecem um índice glicêmico mais baixo, o índice que não gera picos altos de glicose, mas a glicose fornecida pelos alimentos de baixo índice glicêmico, libera mais lentamente.

Por esta razão, o pão branco, batata, biscoitos, não integrais, têm pouca capacidade desta dieta, já que aumentam rapidamente os níveis de açúcar no sangue.

Com os alimentos que fazem parte deste tipo de dieta, nos sentiremos satisfeitos.

O parâmetro do índice glicêmico surge em bioquímica médica como valor para controlar o açúcar no sangue dos diabéticos, mas encontraram seu aplicativo nutricional, como iremos vendo.

O QUE PODEMOS COMER
Os alimentos são divididos em três categorias, de acordo com o índice glicémico: alto, médio ou baixo, ordenados segundo uma escala de a 100, que avalia a rapidez com que elevam a glicose no sangue.

• São alimentos com índice glicêmico baixo (55 e menores): as cenouras, as ervilhas, o feijão, a maioria das frutas (exceto as mencionadas nos outros dois números, e melancia), o leite desnatado, o húmus, farinha de aveia e amendoim (amendoim).

Estes são os alimentos que devem fazer parte predominante nesta dieta

• Os alimentos com um índice glicémico médio (56-69) são: macarrão, milho, uvas passas, sorvetes, as uvas e bananas.

• Entre os alimentos com índice glicêmico alto (7ou superior encontram-se: as bolachas salgadas e, em geral, todas as bolachas, pão branco, batatas brancas ao forno, o arroz branco, o pão branco, e, claro, as bebidas açucaradas.

ATENDIMENTO EXCLUSIVO PARA CARBOIDRATOS
A única limitação que esta dieta impõe é a selectividade sobre os carboidratos: temos de manter controlado o índice glicêmico de cada alimento que consumimos.

Pode ser um pouco confusa, já que o valor de IG de cada alimento é dado separadamente, apesar de se comer combinações de alimentos, que é o que costumamos fazer, o valor de IG altera. Por isso é importante tentar combinar os hidratos de carbono de maior IG, com proteínas e gorduras saudáveis, que retardam a velocidade com que a glicose chega ao sangue.

E também é verdade que existem alimentos com alto índice glicêmico que nem por isso são prejudiciais, já que contêm muitos outros nutrientes importantes.

Um exemplo: a chirivia tem um índice glicêmico maior (52) que o bolo de baunilha, por exemplo (42), e todo mundo estará de acordo em que é muito mais saudável consumir a primeira.

Outro problema que se apresenta é que esta dieta não fornece informações sobre os outros tipos de alimentos (carboidratos não).

Por tudo isso, é uma dieta que depende exclusivamente de você para realizá-la o mais corretamente possível.

Além de que você terá que descobrir como combinar determinados alimentos, para que o resultado do índice glicêmico não se altere, já que combinar um carboidrato de alto IG com proteína e gordura pode variar a suposta quantidade de açúcar no sangue.

COZINHA E MENUS
No que diz respeito às compras e na hora de cozinhar, não tem razões para variar sua rotina habitual, mas deverá procurar os ingredientes com baixo IG.

Há alguns programas, como o Nutrisystem, que podem ajudá-lo a decidir-se por alguns alimentos

É uma dieta que, por outro lado, não necessita de reuniões com outras pessoas, e quanto ao exercício, a sua eficácia não depende dele, assim que não faz parte de sua rotina.

Outros factores a ter em conta são:

Uma dieta saudável é mais do que o simples controle do índice glicêmico, já que as abordagens extremos podem provocar malnutriciones, ao negligenciar outros elementos necessários, como as gorduras e as proteínas, bem como vitaminas e minerais.

Por outro lado, ainda é uma dieta que seguirá por você mesma e não terá um orientador disponível a cada momento para que tire suas dúvidas, no entanto, pode ter idéias de menus em livros como “A revolução da glicose”.

Em todo o caso, decida ou não levá-la a cabo, a sua correcta adequação da mesma, sem dúvida, irá beneficiar-se enormemente, como poderá verificar se tem a paciência de tentar.