destacada

Mais uma dos refrigerantes

A maioria dos cálculos renais são compostos de uma substância chamada oxalato de cálcio. Embora haja uma grande quantidade de alimentos que contêm essa substância, os especialistas apontam que o excesso de refrigerantes está fazendo com que a população desenvolva mais frequentemente este mal. 75% das pedras que se desenvolvem rim são de oxalato de cálcio, que vem de bebidas carbonatadas.

Mas como é que os refrigerantes prejudicam o rim? Estas bebidas têm um elevado teor de carbonato, o qual, ao chegar ao rim filtra e são sais que formam as chamadas pedras. O problema com estas formações é que podem ficar presas nos tubos que transportam a urina do rim para a bexiga e isso provoca uma dilatação secundária, até que o rim deixa de trabalhar.

O anterior provoca uma espécie de envenenamento em todo o corpo, já que ficam no organismo elementos que geralmente são descartados com a urina. O fato de que os rins deixam de funcionar condena o paciente para a hemodiálise –tratamento de substituição de filtração do sangue – ou que tenha que procurar um transplante de rim, porque ele já não filtra o sangue. E, pode levar à morte.

Os cálculos nos rins, é uma doença que ocorre em pessoas economicamente ativas, entre os 30 e 40 anos, mas devido ao consumo excessivo de bebidas carbonatadas. O melhor, para evitar este mal é tomar água, ter uma dieta saudável e fazer exercício, já que ele ativa a todo o corpo, inclusive os rins.

Leia também:

Cardápio para paciente renal

Que nutrientes precisa de seu corpo para manter a homeostase

Bebidas isotónicas, eles são realmente necessárias?