Produtos sem gordura parecem afetar a natalidade

Produtos sem gordura parecem afetar a natalidade

De acordo com o Médico nutricionista português, Jaime Burgos, o declínio da natalidade não se deve aos novos costumes, nem ao uso de métodos contraceptivos, se não, a baixa qualidade do sêmen e a perda de fertilidade das mulheres.

Os demógrafos situam em 2.10 o número mínimo de filhos por mulher, para que se produza o relevo geracional, algo que está em perigo em países desenvolvidos como Espanha, Japão, Itália e Alemanha, entre outros, enquanto que nos Estados Unidos o aumento da população ocorre por o permanente fluxo migratório.

Brugos considera que a chave se encontra na abundante oferta de produtos sem gordura, já que desde que começaram a aparecer este tipo de alimentos se foi produzindo um aumento extraordinário das dificuldades das mulheres em idade fértil para engravidar, assim como um “inexplicável” empobrecimento da qualidade do sêmen em homens jovens do mundo desenvolvido.

Autor do livro “Isodieta”, o nutricionista português explicou que sua teoria se baseia no fato de que os hormônios sexuais, tanto masculinas como femininas, são sintetizadas a partir de gorduras e colesterol. Isso explicaria o que costuma acontecer com atletas submetidos a dietas muito baixas em gordura, que sofrem uma diminuição dos níveis de testosterona no caso dos homens e a interrupção da menstruação nas mulheres.

De acordo com Brugos, a aparição de leite desnatado e de outros produtos que lhes foi extraído da gordura pode estar por trás dos problemas de muitos casais para conceber, além de outras complicações de saúde. “Uma dieta extremamente baixa em gorduras, que muitas vezes também é baixa em proteínas, predispõe a sofrer com a falta de elasticidade e impermeabilidade da pele, varizes, estrias, hemorróidas, hérnias e lesões musculares, diminuição da produção hormonal e uma redução do tônus muscular e orgânica”, acrescentou.

Em defesa das propriedades das gorduras, Brugos indicou que as gorduras e as proteínas são considerados “essenciais” (aminoácidos e ácidos graxos essenciais), porque “são fundamentais para a regeneração celular”. “O nosso corpo é incapaz de produzir por si o que precisamos recebê-las dos alimentos”, destacou.

As pessoas sedentárias que querem perder peso, aconselha-se reduzir a ingestão de açúcares e outros hidratos de carbono para poder incluir em sua dieta a quantidade necessária de gorduras e proteínas, sem aumentar a ingestão de calorias.

Além da crítica aos alimentos baixos em gordura, Brugos questiona também o projeto da pirâmide dos alimentos, publicado pelo governo dos Estados Unidos, por recomendar a mesma proporção de carboidratos para pessoas finas e muito ativas do que outras obesas e sedentárias. De acordo com Brugos, este é um dos motivos do alarmante aumento dos índices de obesidade no mundo.

É importante que você leve em conta que as gorduras são essenciais, mas que em excesso também fazem mal, por isso recomendamos que platiques com seu Nutricionista ou Médico sobre que tipo de gordura é conveniente que consumas e em que quantidades.