Herpes-genital-feminina-e-masculinaTratamentos caseiros para o herpes genital

Alho e banho de ervas auxiliam no tratamento do herpes

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível que atinge uma em quatro mulheres e um em cada oito homens. A sua transmissão ocorre, principalmente, pelo sexo desprotegido e pode ser feita com os vírus HSV-1 e HSV-2.

Assim como o herpes labial, o tipo genital apresenta bolinhas vermelhas que se distribuem em forma de buquê nos genitais masculino e feminino, podendo atingir as regiões anal e perianal. Os sintomas incluem ardor, formigamento e gânglios inflamados até a erupção cutânea. No início da doença, a pessoa pode sentir como se estivesse gripada, apresentando apetite reduzido, febre, mal-estar e dor muscular.

Leia também: Protocolo definitivo para acabar com a Herpes

A pessoa contaminada pode apresentar dor ou dificuldade ao urinar e corrimento vaginal. A primeira infecção tende a ser a mais grave e longa, porque o organismo não teve tempo para identificar o vírus e encontrar uma forma de combatê-lo. A segunda crise pode acontecer uma semana ou um mês depois da primeira, mas tende a ser menos intensa; com o tempo as recidivas (crises) são menos frequentes, porém não torna a pessoa imune ao herpes, porque o vírus continuará em estado de latência.

A ativação do herpes se dá, na maioria dos casos, por fadiga, irritação genital, menstruação, estresse físico ou emocional e trauma na área afetada.

A transmissão ocorre por meio das relações sexuais, quando há o contato com a pele infectada com as lesões visíveis ou não, ou então pela saliva e fluidos da vagina. Contrai-se a herpes genital pelo vírus HSV-2 ou pelo HSV-1 quando há sexo oral. Ter mais de um parceiro sexual e manter relações sexuais sem camisinha são também fatores mais frequentes da infecção.

Tratamento para o herpes genital

O herpes genital não tem cura, mas é prevenido por meio de medicação antiviral e uso de pomadas, assim que começarem as coceiras recomenda-se a ingestão do remédio indicado pelo médico para que a infecção seja retardada. Aplicação de água boricada no local infectado e antibióticos também são indicados.

Somente o médico poderá fazer o diagnóstico por observação clínica e solicitar exames de sangue, de cultura de vírus e de reação de polimerase em cadeia, para assim encontrar qual o melhor medicamento para tratar o herpes genital, a dosagem e a duração da medicação.

Tratamentos caseiros para o herpes genital

O tratamento caseiro para o herpes genital é indicado como um complemento às recomendações médicas e consiste em ingredientes com propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antivirais.

A primeira sugestão de tratamento caseiro para o herpes genital é o banho com chá de manjerona, esta erva tem efeito analgésico, antiviral e ajuda a diminuir a irritação.

Para prepará-la ferva 1 xícara de água e misture com duas colheres de sopa de folhas secas de manjerona, quando estiver morno lave a região íntima com a mistura; esse tratamento pode ser feito até quatro vezes ao dia enquanto a ferida não estiver cicatrizada.

Assim como o preparo do banho com manjerona, o com hamamélis é indicado de 2 a 3 vezes ao dia para diminuir a dor e o inchaço causados pelo herpes.

Tratamento caseiro com alho para o herpes genital

alho remedio natural para herpes labialAlém dos tratamentos com as folhas, o com o alho também é recomendado como reforço à prescrição médica. O alho age como um antibiótico natural e tem propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias, por isso ajuda a secar e cicatrizar as feridas do herpes. Para utilizá-lo basta cortar um dente de alho pela metade e passar diretamente nas bolhas, ou preparar uma pasta para aplicar na pele.

É importante ressaltar que esses tratamentos caseiros para o herpes são aliados e não dispensam o uso de medicamentos, assim como as medidas básicas, que incluem: lavar a região infectada com água e sabão ou água e sal, aplicar compressa fria, passar pomada anestésica após urinar para aliviar a queimação, estar sempre hidratado e evitar usar roupas apertadas ou compartilhar objetos que tiveram contato com regiões afetadas pelo herpes.

Leia também: Protocolo definitivo para acabar com a Herpes