O ser humano possui em média de 100.000 a 120.000 fios de cabelo. Porém, essa não é a realidade de 40 milhões de homens brasileiros que apresentam algum grau de calvície.

A calvície ou Alopecia androgenética caracterizada pela queda progressiva dos cabelos é um processo que acomete principalmente os homens e com baixa freqüência em mulheres.

tratamento para queda de cabeloA maior causa é a predisposição Genética, ou seja, a chance de um homem desenvolver a alopecia androgenética é maior em filhos de pais calvos.

O que causa Calvície?

A grande maioria dos homens começa a desenvolver a calvície entre os 24 e 26 anos (80%), porém 15% deles já apresentam sinais de calvície aos 17 anos e apenas 5% começam a perder os cabelos após os 30, contrariando o mito que somente homens na 3ª idade são calvos.

A queda de cabelos, apesar de ser um processo natural do ser humano, é acompanhada na maioria das vezes por problemas na auto-estima. Alguns homens relatam sensação de impotência, envelhecimento precoce e até dificuldade no convívio social.

Muitos desses sintomas ocorrem devido ao mau julgamento da sociedade para esta normal variação do ser humano.

Apesar do stress e de alguns medicamentos anticoagulantes, anti-tireoidianos e quimioterápicos promoverem a queda de cabelo, a principal causa da calvície não envolve nenhum problema de Saúde e sim uma maior quantidade da enzima 5-alpha-redutase do tipo II, responsável por transformar testosterona em dihidrotestosterona (DHT).

A DHT promove o afinamento dos cabelos nas têmporas e pode evoluir para a queda de todos os cabelos da parte superior da cabeça. No entanto, não possui nenhum efeito prejudicial à saúde dos homens.

Existem algumas alternativas para os homens adotarem em relação à calvície. A mais antiga era a utilização de perucas que possuem desvantagens estéticas, risco de micose e mau cheiro, além dos constantes ajustes.

como tratar a calvícieO que é bom para Queda de cabelo?

Atualmente um tratamento muito utilizado é à base do medicamento Finasterida, que funciona como inibidor da enzima 5-alpha-redutase.

Este medicamento tem demonstrado bons resultados em longo prazo e possui poucos efeitos colaterais.

Alguns estudos relatam a diminuição da libido e disfunção erétil em uma pequena quantidade da amostra.

Por ser metabolizado no fígado, não são recomendados a pessoas com problemas nesse órgão.

Outro tratamento bastante utilizado é com o xampu a base de cetoconazol. Essa substância tem como objetivo diminuir a oleosidade do cabelo e diminuir a atividade local da DHT.

No entanto, a maioria dos estudos só comprova o primeiro efeito. Outra técnica que tem aumentado o número de adeptos e que apresenta bons resultados é a microcirurgia das unidades foliculares.

Essa técnica consiste em transplantar unidades foliculares do próprio paciente para as regiões calvas e tem como obstáculo o auto custo.

Apesar de existirem inúmeros tratamentos para combater a queda dos cabelos, alguns deles bastante efetivos, é importante ressaltar que a alopecia androgenética é um processo natural do ser humano e não uma doença, o que permite ao homem conviver naturalmente com esse processo sem utilizar nenhum tratamento.