Dicas para deixar de lado os desejos noturnos

12 Mai 2014

A SÍNDROME DO JANTAR NOTURNO
Mas não é algo simples, o controle ou domínio sobre nossos impulsos para comer, sobre a fome e sobre tudo, sobre os desejos, é algo fundamental. E mais, quando se trata de comida noturna, especialmente um dos mais conhecidos distúrbios alimentares: a síndrome do jantar noturno.

NÃO VIVEMOS PARA COMER, COMEMOS PARA VIVER
Mas como podemos parar essa ansiedade noturna, se comer é o único em que podemos pensar? No entanto, temos de ser fortes e ter claro uma coisa: nós não vivemos para comer, mas comemos para viver. Isso temos que ter muito claro em nossa mente, temos de interiorizarlo profundamente, se é que queremos resistir à tentação quando a noite acordamos com a intenção irresistível de ir para a geladeira a morder algum bocadito.

COMIDA VS. ANSIEDADE
E é que temos a tendência a refugiar-nos em alimentos para acalmar a ansiedade que nos produzem os nossos problemas, pensamos que depois de uma fatia de bolo ou algumas bolachas salgadas, o problema ou os problemas desaparecerão. Você vive sempre dizendo “esta fatia de bolo é o último…”, mas nunca é assim, e não, seus problemas não desaparecem por mais sorvete ou panquecas ou biscoitos que tome à noite. Seja realista, abra os olhos e enfrente a realidade: você tem a síndrome da sala de jantar à noite e se não parar vai arruinar a sua vida.

CONTROLE E EQUILÍBRIO
Há dois conceitos que você deve ter em sua mente a todo o momento: controle e equilíbrio. Tem de controlar em todo o momento a sua fome com o fim de controlar o seu peso e sobre tudo, a sua saúde. Mas também tem de ser equilibrado em sua alimentação: suprimir o apetite por alimentos pouco saudáveis, assim como, comer, já tarde, perto da noite ou na noite mesma.
Que medidas podemos tomar para parar a síndrome do jantar noturno?

A IMPORTÂNCIA DA SERENIDADE
A primeira coisa que você deve e tem que alcançar é o de serenidade e calma na hora de resolver os seus problemas, e pensar que por muito que comamos, os problemas que temos não vão desaparecer, que tudo o que estamos fazendo é escondernos nos alimentos e que é uma das soluções que adotamos no final do dia ou da noite, para aliviar nossa ansiedade.
Mas como reiteramos, isso só nos levará a somar outro problema para os que já temos, assim, que afrontémoslos com coragem.

SER CONSCIENTES DO PROBLEMA
Façamo-nos conscientes de nosso estado e de nossas ações, não podemos viver em um mundo de ilusões em que nos escondemos nossas verdadeiras ações e negamos as suas consequências: sofremos síndrome da sala de jantar à noite.
Esse é um dos primeiros passos para poder corrigi-lo.

COLOCAR LIMITES
Para começar a colocar alguns limites líquidos para o nosso síndrome, temos de fixar um horário rigoroso de refeições e cumpri-lo à risca: há que fazer três refeições saudáveis por dia e tomar sempre, a última refeição, até às 19:0horas, nunca mais tarde.
E, a partir daí, seja qual for a nossa necessidade psicológica, nunca comer até a manhã seguinte.

MOSTRAMOS O NOSSO FRIGORÍFICO
Se, apesar de tudo, ao princípio, para nós, é quase impossível deixar de comer furtivamente à noite, então façamos a limpeza de nosso refrigerador: retirada de seu interior todos os doces, refeições sucata e possíveis lanches que só nos engordarán, e deixe apenas os alimentos saudáveis que, pelo menos, não devem pôr em perigo o nosso peso e a nossa saúde.

PORQUE É QUE ESTOU COMENDO?
E, finalmente, quando vamos comer, temos de nos perguntar sempre “porque é que estou comendo?”, já que está comprovado que este tipo de síndrome, 7% das vezes comemos porque temos uma crise de ansiedade ou medo, ou porque estamos entediados, ou por qualquer outra razão, exceto a real necessidade de comer. Assim, seja honesto consigo mesmo e só coma quando tiver realmente com fome, não torne a comida em uma tentativa de resolver a sua frustração.
Como vemos, todos esses conselhos representam um sério auto-controle psicológico, mas todos os que querem e conseguem perder peso são pessoas que conseguem, finalmente, impor a sua vontade sobre suas fraquezas. Então seja você também um deles.