como tratar a menopausa
Embora seja um processo biológico natural do organismo das mulheres, a menopausa é muito temida por muitas mulheres, justamente, por causa de seus sintomas desagradáveis como ondas de calor, suor noturno, irritabilidade, ansiedade, insônia, cansaço e diminuição da atenção e memória.

Mas a Menopausa pode, sim, ser uma fase tranquila na vida das mulheres, desde que seja melhor entendida e identificada para que, então, se possa lidar com possíveis incômodos.

Primeiramente, é bom saber que a menopausa é o período que vem logo após a última menstruação da mulher e, com ele, também são encerrados dois ciclos, tanto o menstrual como o ovulatório.

E é importante que se saiba que só é considerado menopausa quando passar 12 meses do último fluxo menstrual, podendo haver, eventualmente, fluxos irregulares nesse meio tempo.

No mais, é bom que fique claro que a menopausa não é nenhuma doença e nem deve ser vista como tal, muito pelo contrário, ela é um processo natural do organismo feminino.

Porém, embora não seja doença, algumas pessoas precisam recorrer à tratamentos, principalmente, se os sintomas forem muito incômodos, existindo boa opções de tratamentos para melhorar a qualidade de vida da mulher.

Quais são os sintomas da menopausa

menopausa-sintomas
Durante a menopausa é comum que muitas mulheres sintam diversos sintomas, todos associados ao climatério, fase que antecede a menopausa,  como a sensação de ondas de calor, que afeta entre 60 e 80% das mulheres.

Essas ondas de calor se caracterizam como uma sensação súbita e intensa de calor na pele, aparecendo principalmente no tronco superior, pescoço e face. Há um aumento do sangue circulando nessas regiões, o que causa uma vermelhidão da pele, e muitas vezes pode haver um aumento do suor produzido.

Há mulheres que também apresentam palpitações e sensação de desmaio, podendo variar de mulher para mulher.

Alguns dos sintomas mais comuns desse período são:

  • Sudorese excessiva
  • Calor intenso
  • Palpitações
  • Sensação de desmaio
  • Alterações menstruais (antes do término completo)
  • Coceira e secura vaginal, que pode levar a dor na relação sexual
  • Redução da libido
  • Diminuição do tamanho dos seios e perda de firmeza
  • Sudorese noturna
  • Problemas para dormir
  • Mudanças de humor, com períodos de ansiedade, irritabilidade e depressão, além da diminuição da auto-estima
  • Ganho de peso e desaceleração do metabolismo
  • Calafrios
  • Diminuição da memória
  • Fadiga
  • Incontinência urinária
  • Aparecimento de espinhas.
  • Pele seca e cabelos mais finos
  • Diminuição da elasticidade da pele
  • Dores de cabeça
  • Aumento da porosidade dos ossos.

Vale saber, no entanto, embora sejam sintomas comuns, nem toda mulher apresenta esses sintomas, ou podem surgir apenas alguns. Seu aparecimento varia de mulher para mulher e conforme a fase do climatério.

Menopausa precoce

Pois é, para quem não sabe, ela existe, a menopausa precoce se chama assim quando ela aparece antes dos 40 anos de idade, e isso, geralmente, se deve a algum fator que impeça os seus ovários de funcionarem perfeitamente.

Seus sintomas são fáceis de serem identificados, pois são os mesmos de uma menopausa comum.

Embora as causas não sejam ainda muito bem definidas, sendo, geralmente, associadas à anormalidades genéticas, exposição a toxinas ou doenças autoimunes, a menopausa precoce surge quando a mulher já nasce com uma reserva menor que a esperada de folículos ovarianos (agrupamentos de células encontrados no ovário), ou quando eles são consumidos de forma muito mais rápida que o normal ao longo da vida.

Recentes estudos descobriram alguns dados sobre a menopausa precoce, são eles:

  • 0,1% das mulheres sofrem de menopausa precoce antes dos 30 anos.
  • 0,25% das mulheres tem menopausa precoce antes dos 35 anos.
  • 1% das mulheres entram em menopausa precoce antes dos 40 anos.

Como prevenir os sintomas da menopausa

Como prevenir os sintomas da menopausa

Uma dica, para toda mulher, é não esperar os sintomas chegarem, ou seja, prevenir é sempre o melhor remédio, então, procure conversar com o seu médico sempre que perceber alterações em seu ciclo menstrual, ou mudança de humor, dores, etc., e também, procure seguir essas regrinhas:

  • Não fume;
  • Procure controlar o seu peso, a pressão arterial e os níveis de colesterol para prevenir doenças cardiovasculares;
  • Faça exercícios físicos regularmente;
  • Faça uma dieta balanceada.

Tratamentos de Menopausa

Sem dúvida, na hora de apelar para tratamentos para a Menopausa, a terapia hormonal (mais conhecida como reposição hormonal) é o tratamento mais efetivo para as ondas de calor, conseguindo uma redução de até 75% em sua frequência e de 87% em sua severidade. Essa reposição hormonal pode ser feita com estrógeno ou a combinação de estrógeno e progesterona.

Mas, muita atenção, pois alguns tipos de terapia hormonal estão ligadas à diferentes complicações, como aumento do risco de ter câncer de mama, câncer de cólon, doença cardiovascular e fraturas. Por isso, não é recomendado quando há casos dessas doenças na família, e, claro, todos esses fatores devem ser avaliados antes de se optar seguir com esse tratamento.

Somente o médico poderá avaliar se esse tratamento é, ou não, indicado para você, após todos os exames de rotina e seu histórico de saúde ser verificado. Só assim poderá saber se há alguma contraindicação e qual a melhor dose hormonal a ser aplicada.

Segundo especialistas, o ideal é que a reposição hormonal seja feita entre 50 a 59 anos e, no máximo, até 7 anos após o início dos sintomas da menopausa, tornando o tratamento mais seguro.

E mais, deverá ser feito um acompanhamento médico durante a reposição hormonal, para poder encerrar o tratamento assim que seus benefícios não forem mais necessários.

Atenção, a reposição hormonal é contraindicada em mulheres que:

  • Já sofreram infarto
  • Tenham algum grave comprometimento das artérias coronárias
  • Possuam doença no fígado que impeça seu funcionamento
  • Tenham tido ou ainda apresentem câncer de mama ou no endométrio
  • Possuam histórico de doença vascular cerebral
  • Estejam com um quadro de hipertensão não controlado.

Aplicação de estrogênio

Muitos especialistas recomendam o uso de estrogênio tópico, ou seja, em creme na própria área da vagina, para aliviar o sintoma de secura vaginal, muito comum durante a menopausa. Esse método é útil principalmente em mulheres que apresentam atrofia vaginal, dor na relação sexual e problemas uroginecológicos.

Medicamentos não hormonais

Mas calma, se você pertence ao grupo de  mulheres que não podem recorrer a terapia hormonal, não precisa se desesperar, pois há outras opções de medicamentos conforme o sintoma apresentado. Para os sintomas de calor intenso, ou fogachos, existem medicamentos antidepressivos, hipno-sedativos, antidopaminérgicos, vasoativos ou os que agem no eixo hipotalâmico hipofisário.

Esses medicamentos são indicados para mulheres que:

  • Não querem fazer terapia hormonal
  • Apresentam efeitos colaterais ou não respondam bem à terapia hormonal
  • São contraindicadas a fazer a reposição de hormônios.

Terapias alternativas

Mas é bom saber que existem outras opções, as chamadas terapias alternativas, que podem ajudar a mulher nessa fase e que, mesmo sem comprovação científica, muitas mulheres atestam ser eficazes no controle de certos sintomas causados pela menopausa, conheça algumas dessas terapias:

Fitoterapia
Fitoterapia
Muitas mulheres recorrem (e relatam ter sucesso), ao uso de  plantas medicinais e seus extratos como tratamento nessa fase. Os fitoestrogênios são substâncias naturais que podem agir como os hormônios femininos. Os mais usados são a soja, o trevo vermelho e a cimicifuga. A valeriana e a melissa podem ser usadas para os sintomas de sono e ansiedade. O ideal, porém, é ter a orientação de um especialista e procurar ingeri-los perto das refeições, para que eles sejam absorvidos corretamente.

Homeopatia
homeopatia
Na Homeopatia o tratamento é individualizado para cada mulher. São associados remédios homeopáticos de acordo com os principais sintomas que incomodam a mulher nessa fase. Existem medicamentos de ação importante neste período, como a Sepia Succus, a Lachesis e o Natrum muriaticum, além dos extratos feitos de órgãos como o Ooforinum e o Foliculinum, que fazem parcial substituição dos extratos hormonais não mais produzidos pelo corpo feminino.

Acupuntura

acupunturaEssa técnica milenar chinesa pode ajudar ao estimular diferentes pontos do corpo, estimulando locais anatômicos definidos por meio da inserção de agulhas filiformes metálicas para promoção, manutenção e recuperação da saúde, bem como para prevenção de agravos e doenças. Certamente, os pontos a serem estimulados também variam conforme os sintomas que cada mulher apresenta. E mais, a acupuntura pode trazer alguns benefícios temporários em relação às ondas de calor.

Ioga 
Ioga
Segundo pesquisas, a prática da ioga, para mulheres na menopausa, em alguns casos, pode auxiliar no controle de alguns sintomas.

Hipnose 
Hipnose 
De acordo com uma pesquisa, publicada na revista Menopause, foi descoberto que a técnica da hipnose diminui em 74% as ondas de calor que acometem grande parte das mulheres no período da menopausa.

Medicamentos para Menopausa

Alguns dos medicamentos mais receitados para o tratamento da menopausa são:

  • Acetoflux
  • Depo-Provera
  • Estriol

Certamente, só um médico vai saber analisar e indicar qual o medicamento mais correto para o seu caso, bem como a dosagem certa e a duração do tratamento.

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique.

Também não é indicado interromper o uso do medicamento sem consultar o médico antes.

Antidepressivos

Então, em alguns casos, são indicados antidepressivos para o tratamento da menopausa, e isso se deve ao fato de alguns deles, da classe inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS), em doses baixas, ajudarem a diminuir os sintomas da menopausa.

Esse tipo de tratamento tem se mostrado bastante eficaz em mulheres que não podem realizar a terapia hormonal por razões de saúde ou àquelas que sofrem muito com os transtornos de humor.

Alguns desses medicamentos são:

  • Cloridrato de venlafaxina
  • Cloridrato de fluoxetina
  • Cloridrato de paroxetina
  • Citalopram
  • Cloridrato de sertralina

Remédio caseiro para menopausa

Remédio caseiro para menopausa

Muitas mulheres preferem apelar para remédios caseiros na hora de tratar os incômodos da menopausa, segundo relatos, eles costumam dar bons resultados.

Que fique claro, porém, que estes remédios caseiros não devem substituir a reposição hormonal, ou qualquer outro tratamento, indicado pelo ginecologista, mas eles podem ser usados, sim, para ajudar a diminuir a frequência e a intensidade das ondas de calor e insônia, sendo uma ótima opção natural de lidar com estes sintomas.

Papel e caneta nas mãos, anote essas receitas:

Chá 5 ervas para menopausa

Este chá pode ser um ótimo aliado da mulher na hora de encontrar o bem-estar na menopausa e pode ser consumido diariamente como forma de reposição hormonal natural.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de damiana
  • 1 colher de sopa de ginseng siberiano
  • 1 colher de sopa de gotu kola
  • 1 colher de sopa de rosa
  • 1 colher de sopa de verbena
  • 1 litro de água

Modo de preparo

Ferva a água e adicione as ervas deixando repousar por 5 minutos. Coe e beba ao longo do dia, morno ou frio. Se desejar adoce com mel ou stévia.

Suco de maracujá com lecitina

O suco de maracujá pode servir como um ótimo calmante natural, enquanto a lecitina da soja contém fito hormônios que ajudam a regular as ondas de calor normais da menopausa.

Ingredientes

  • 2 folhas de couve
  • 1/2 colher de lecitina da soja
  • Polpa de 1 maracujá
  • 2 colheres de mel
  • 3 copos de água filtrada

Modo de preparo

Bata todos os ingredientes no liquidificador e beba a seguir. Procure beber este suco 3 vezes ao dia.

Mas atenção, esse suco é contraindicado para mulheres com pressão baixa.

Chá de Ginseng feminino

O ginseng feminino tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas que atuam diminuindo as dores e o desconforto da menopausa.

Ingredientes

  • 10 g de raiz de ginseng feminino
  • ​1 xícara de água

Modo de preparo

Adicione 1 xícara de água fervendo sobre a raiz, em seguida, deixe descansar, em um recipiente com tampa, por 30 minutos, após esse tempo, coe e tome 2 vezes ao dia.

Chá de Verbena

A verbena é conhecida por estimular a digestão, mas também é um ótimo antidepressivo e regulador do humor.

Ingredientes

  • 50 g de folhas de Verbena
  • 1 litro de água

Modo de preparo

Adicione as folhas na água fervente e deixe repousar por 10 minutos. Coe e tome 3 vezes ao dia.

Chá de Damiana

Damiana é uma planta medicinal indicada para combater os sintomas da menopausa, especialmente, a secura vaginal e a falta de desejo sexual.

Ingredientes

  • 10 a 15 g de folhas de damiana
  • 1 litro de água

Modo de preparo

Adicione 10 ou 15 g de folhas em 1 litro de água fervente. Beba 1 xícara por dia.

Alimentos para aliviar os sintomas da Menopausa

Alimentos para aliviar os sintomas da Menopausa

Oleaginosas:  A vitamina E é excelente para aliviar as ondas de calor típicas da menopausa, e alimentos como castanhas, nozes, óleos vegetais e amêndoas são ótimas fontes de vitamina E. A castanha do Pará é especialmente boa para entrar na dieta durante a menopausa, por conter, também, o mineral selênio, que ajuda a fortalecer as funções cerebrais.

Soja: Possui uma importante substância chamada isoflavona, que atua de forma parecida com a do estrogênio no corpo da mulher. Assim, ela alivia algumas reações causadas pela menopausa, como o ressecamento da pele.

Leite e derivados: Como o leite é rico em proteínas e cálcio e na menopausa o organismo não o absorve bem, pela queda de estrogênio, então, consumir leite e derivados ajuda a evitar o enfraquecimento dos ossos, que pode resultar na osteoporose. Além de leite e derivados, vale apostar em outros alimentos fontes de cálcio, como as hortaliças verdes escuras, como brócolis, rúcula, espinafre e couve.

Peixes: O consumo de peixes, como a sardinha e o salmão, nessa fase, pode ser de grande ajuda, justamente, por serem ricos em ômega 3, um ácido graxo essencial para controlar os níveis de colesterol, prevenir doenças cardíacas e ajudar nas funções cerebrais. E mais, peixes são a principal fonte alimentar de vitamina D, que colabora para a formação óssea e facilita a absorção do cálcio. Tomar sol diariamente, pelo menos 15 minutos, também é importante para adquirir essa vitamina.

Chocolate amargo: Esse chocolate  possui, pelo menos, 70% de cacau em sua composição, que é rico em triptofano, que estimula a produção da serotonina, o hormônio do bem estar. Por isso, o chocolate amargo pode ajudar, e muito, a  evitar problemas como depressão e ansiedade, naturais nesse período. Alimentos como a banana, o leite e a semente de abóbora também são fontes de triptofano.

Vale saber que nada melhor para liberar serotonina do que praticar regularmente atividades físicas, pode ser uma simples caminhada. Se exercitar, além de causar bem estar, também fortalece os ossos, controla os níveis de colesterol, evita doenças e rejuvenesce. Portanto…mexa-se!