Olhe seus pés e evite amputaçõesOlhe seus pés e evite amputações

Se nos últimos dias me senti dormência em suas pernas, cólicas, dormência ou sensação de incômodo nos dedos de suas mãos, seus pés ou pernas, cuidado! Poderia se tratar de uma condição chamada de neuropatia diabética, um tipo de dano nos nervos causada por diminuição do fluxo sanguíneo e a presença de níveis elevados de açúcar no sangue.

Segundo o Dr. Germán Vargas Ayala, médico internista do Hospital Geral de Ticomán, trata-se de uma complicação comum da Diabetes que, a não ser diagnosticada e tratada a tempo, pode evoluir e fazer com que o paciente perca, temporária ou permanentemente, a sensibilidade à pressão, temperatura ou vibração, “o que é perigoso, porque qualquer ferida pode passar despercebida até resultar em feridas, úlceras ou infecções que, no pior dos casos, podem vir a obrigar à amputação de alguma ponta”.

Ao contrário do que se acredita, a neuropatia diabética, não é uma doença tardia do Diabetes, pois costuma aparecer em pacientes mal controlados, até mesmo, cinco anos antes do diagnóstico. “Embora esse transtorno é silenciosa e assintomática de início, a deterioração dos nervos e, por conseguinte, a dificuldade para transmitir mensagens ao cérebro e a outras partes do corpo, se tornará mais evidente conforme o avanço da doença”, observou o especialista.

Em sua opinião, os altos índices de açúcar no sangue (Hiperglicemia) aumentam a produção de radicais livres de oxigênio, moléculas envolvidas com o envelhecimento celular e, consequentemente, o dano aos vasos sanguíneos e sistema nervoso. “Isso faz a partir dos sintomas mencionados até atrofias musculares que podem impedir o paciente caminhar adequadamente”.

Por isso, é importante fazer mudanças no estilo de vida e evitar desta maneira complicações da Diabetes. No caso das pessoas que já apresentam neuropatia diabética é indispensável que um Médico os verifique e lhes de tratamento, já que a doença, além de dolorosa e desconfortável pode contribuir para o desenvolvimento de úlceras, yagas ou infecções que levem o paciente até a amputação de um membro. Para o Doutor Vargas Ayala uma opção para tratar a neuropatia diabética é o ácido tióctico (Thioctacid®), que está muito voltado para diminuir o problema a partir de suas origens.

“Até agora, temos visto que o ácido tióctico é a única substância que preenche todos os requisitos mencionados no Consenso de Saint Paul para atender a esta condição clínica. Nesse consenso, decidiu-se que a droga ideal deve interferir primeiro com as causas do distúrbio, segundo, reduzir os sintomas e, em terceiro lugar, melhorar as deficiências neurológicas, e um quarto, otimizar a função das fibras nervosas grandes e pequenas”, explicou.

Observou que Thioctacid® é um potente fármaco membro de uma família de antioxidantes naturais, que neutraliza os radicais livres, responsáveis pelo dano celular. Por isso que, de acordo com a experiência clínica e com o que determina o médico assistente, você pode gerenciar para frear e reverter o dano neurovascular e metabólica induzida pelo Diabetes mal controlada.

Por sua segurança e eficácia, o ácido tióctico recentemente foi considerado pela Associação latino-Americana de Diabetes e a Worldwide Initiative for Diabetes Education como medicamento de primeira linha para o tratamento da neuropatia diabética também em fases iniciais, isto é, quando o paciente ainda não experimentou sintomas importantes.

Esta recomendação encontra-se no Guia Prática no Manejo da Polineuropatia Diabética (NEURALAD, 2010), elaborado por ambos os organismos para atualizar os médicos e otimizar a atenção do doente de acordo com a realidade latino-americana.

Se você quiser mais informações, conversou com o seu Médico, pois é o único que pode recertarte este ou qualquer outro medicamento.