saúde públicaUniversitários: população em risco de saúde.

De acordo com os resultados retornados pelos testes de laboratório realizados a mais de 4 mil estudantes da UNAM e a Universidade Autônoma da Cidade do México (UACM), 13% apresentam Síndrome Metabólica, que é a concentração de doenças e fatores de risco em pessoas como altos níveis de colesterol de baixa densidade, ou LDL (o chamado “mau colesterol”), aumento do perímetro abdominal, glicemia e triglicérides elevados, assim como aumento da pressão arterial.

No entanto, esta percentagem de alunos se assumem como saudáveis e não estão cientes do risco que tais fatores inerentes. Prova disso são as 62 pessoas que foram diagnosticadas com Diabetes e que 42% das pessoas no estudo apresentaram baixos níveis de colesterol ‘bom’, o que, sem saber, são candidatos a sofrer de doenças cardíacas.

O estudo, chamado de “Síndrome Metabólica, a saúde e o rendimento escolar”, analisou o desempenho escolar dos alunos, observando um decréscimo em suas médias gerais até em 1.5 pontos.

De qualquer modo, estes resultados são classificados como preliminares, pois há que ampliar a informação com mais registros acadêmicos e agora sim estabelecer uma correlação.

Por agora, tomaram-se medidas de prevenção, sugerindo visitas médicas, a fracção de estudantes em risco, pois se não pode ser evitado em sua totalidade, a Diabetes ou hipertensão, o saudável seria atrasar o seu aparecimento e evitar suas complicações em idades precoces.

Leia também:

Que tal o seu relógio biológico?

7 maneiras de aumentar o seu metabolismo

Liraglutida: nova ajuda contra a Diabetes 2