Diabetes: uma doença cara

Diabetes: uma doença cara

De uma coisa eu tenho que morrer, não é? É uma frase comum entre fumantes, pessoas com obesidade, hipertensos e pessoas com Diabetes mal controlada. O certo é que, embora efectivamente todos morreremos, viver com uma doença crónica ou lutar contra suas complicações não é nada simples, nem a nível emocional ou físico e muito menos a nível económico.

Tal é o caso da Diabetes: os custos gerados a atenção desta ascendem a 778 milhões de dólares e o impacto para os bolsos dos pacientes com Diabetes alcançará este ano, os 178.4 milhões de dólares.

Um estudo apresentado pelo Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) afirma, ainda, que 52 % dos custos que provoca a Diabetes no México é absorvido pelos próprios doentes e não por instituições de saúde. De acordo com dados da Secretaria de estado de Saúde, no país, vivem cerca de 10 milhões de pessoas com Diabetes, dos quais estima-se que 30% não sabe que tem a doença.

Do total de custos esperados para este ano no nosso país por esta doença, 40 milhões 787 547 mil dólares correspondem à Secretaria da Saúde, com programas de Diabetes não-segurados, 113 milhões 664 mil 454 para serviços de diabetes para a população segurada por IMSS e o ISSSTE, 178 milhões 477 754 mil para o bolso dos pacientes com Diabetes, e 10 milhões 296 786 mil por Seguros Privados de Saúde, detalha o estudo elaborado por Armando Teixeira, pesquisador do INSP.

De acordo com o documento, os recursos financeiros para a demanda de serviços em pacientes com Diabetes terá um aumento de 33% em 2011 e continuará a crescer, se não forem tomadas medidas para evitar o aumento da doença.

Os custos do controle

O montante de dinheiro que gasta uma pessoa com Diabetes depende de o que você precisa para controlá-la. Por exemplo, a insulina Largina tem um custo que pode chegar até 800 pesos. Para monitorar a glicose, é necessário um glucómetro, o qual pode ter um preço a partir de 800 pesos o mais simples até 2 mil 800 o mais especializado, lancetas, porta-agulhas e tiras, pacote com 50 custa cerca de 400 pesos.

Em seguida, vêm os exames laboratoriais que devem ser praticadas, muitas vezes. Se você somar o custo da Hemoglobina Glucosilada, a consulta com o oftalmologista, o check up de pés, os rins, etc., uma pessoa com Diabetes gasta 10 mil pesos por ano, pelo conceito de testes de controle.

É verdade, haverá quem possa economizar um pouco, se conta com um serviço médico social, mas a verdade é que ter Diabetes não lhe sai grátis a ninguém: cada peso que se gasta a Secretaria de Saúde, o IMSS ou o ISSSTE o paga você e outros milhares de pessoas com impostos.

Cuidar de si é a melhor maneira que você tem para prevenir a Diabetes ou evitar suas complicações. Todos vamos morrer, é verdade, mas o fim é viver com qualidade de vida.