Veja Por que As Dietas Baixas Em Gordura São Perigosas Para A Saúde

14 Mai 2014

Há anos as pessoas que notam um aumento no seu peso, as que apresentam níveis de colesterol alto ou aqueles que simplesmente querem comer o adequado para manter um coração saudável, optaram pela opção de uma dieta baixa em gordura. Mas, será que realmente são estes alimentos baixos em gordura tão bons como pensamos ou como nos faz crer a propaganda?

A moda de alimentos com baixo teor de gordura se impôs na década de 9e ainda persiste, sobretudo nos países ocidentais, fazendo com que muitas pessoas continuem acreditando que quando se trata de gordura é melhor evitá-la. Estar conscientes do consumo de gordura na dieta, sem dúvida, é bom, especialmente quando você está tentando reduzir o risco de doenças cardíacas ou de perder peso. No entanto, se você leva as coisas longe demais, pode estar colocando em risco a sua saúde.

Descubra no artigo seguinte, o que se esconde por trás das famosas dietas baixas em gordura, oferecemos-lhe um aviso sobre como este tipo de dieta pode prejudicar a sua saúde e algumas dicas para evitá-lo.

A DIETA BAIXA EM GORDURAS AUMENTA O NÍVEL DE TRIGLICERÍDEOS
Os níveis elevados de triglicerídeos no sangue podem aumentar o risco de doenças do coração, especialmente se combinado com um baixo nível de HDL (“colesterol bom”). A dieta é fundamental para determinar o nível de triglicérides no sangue.

Os triglicéridos no sangue se elevam quando o fígado converte o excesso de carboidratos (especialmente frutose) em gordura. Como a dieta baixa em gordura, também é alta em hidratos de carbono, esta pode causar um aumento de triglicérides no sangue, o que poderia elevar significativamente o risco de doença cardiovascular.

Para manter baixo o nível de triglicéridos, pode evitar certos tipos de gorduras e substituí-las pelas classes mais saudáveis. Deve-Se minimizar a ingestão de gorduras saturadas e gorduras trans, que costumam ser sólidas à temperatura ambiente. Óleos vegetais solidificados frequentemente são utilizados na elaboração de batatas fritas, donuts, bolos e biscoitos. Produtos lácteos integrais também tendem a elevar os níveis de triglicerídeos, assim como as carnes gordas o que, como hambúrgueres, frango com pele, bacon e salsichas.

Recomendamos remover ou substituir estes alimentos por peixe e óleos poli-insaturados, como o óleo de canola e o azeite, que contêm ácidos graxos ômega-3. Estes ácidos graxos podem ajudar a diminuir os triglicerídeos.

A DIETA BAIXA EM GORDURAS DESEQUILIBRAR OS NÍVEIS DO COLESTEROL BOM E RUIM
A lipoproteína de alta densidade (HDL, pela sigla em inglês High Density Lipoprotein) é mais conhecida como “colesterol bom”, o qual está relacionado com um menor risco de doenças do coração, é por isso que deve se manter elevado o seu nível no sangue.

Para não reduzir seus níveis de HDL, você precisa comer um pouco de gordura. Portanto, uma dieta baixa em gordura pode interferir completamente com a sua finalidade. Além disso, um alto consumo de carboidratos também pode interferir nos níveis de colesterol bom.

A principal recomendação para elevar os níveis de HDL no sangue é manter uma dieta baixa em carboidratos.

A dieta baixa em gordura prejudica o padrão de LDL ou “colesterol ruim”

Por outro lado, as lipoproteínas de baixa densidade (LDL, sigla em inglês Low Density Lipoprotein), também conhecidas como “mau colesterol”, estão relacionadas a um maior risco de doença cardiovascular.

Se bem é certo que as dietas baixas em gordura podem reduzir o LDL, as pesquisas demonstram que mudam o padrão de LDL de grandes partículas pequenas e densas, são estas últimas as que contribuem para a doença cardíaca, não as grandes.

A DIETA BAIXA EM GORDURAS E PROMOVE O CONSUMO DE ALIMENTOS PREJUDICIAIS
Se damos um passeio por todo o salão do supermercado encontramos desde sobremesas sem gordura, biscoitos integrais até refeições preparadas com as calorias calculadas. No entanto, enquanto a cesta da compra está cheia deste tipo de alimentos “livres de culpa”, a nossa cintura está ficando cada vez mais ampla.

O certo é que durante as últimas décadas, o mercado foi inundado de alimentos com alto teor de açúcar e disfarçados com as tags “LIGHT” ou “SEM GORDURA”. As dietas de baixo teor de gordura -que costumam ser as mais populares – promovem o consumo deste tipo de alimentos.

Quando apareceram as primeiras diretrizes para dietas com baixo teor de gordura, as fábricas de alimentos aderiram à tendência. O principal objetivo das empresas era vender a idéia do “coração saudável” consumindo alimentos com baixo teor de gordura. Mas os fabricantes encontraram-se com um grande problema: os alimentos para os que se lhes tirou a gordura perdem por completo o seu sabor original.

A solução mais fácil para resolver isso foi substituir a gordura por açúcar. Portanto, um produto pode ser rotulado como “baixo teor de gordura”, apesar de que tenha sido carregado com açúcar. Agora que você já sabe que causam dano, remova-os da sua lista na hora de ir ao supermercado.

A DIETA BAIXA EM GORDURAS E DIMINUI O CONSUMO DE ALIMENTOS SAUDÁVEIS
Não faz sentido culpar os alimentos gordurosos de origem animal da epidemia da obesidade, a diabetes ou doenças cardiovasculares, já que as doenças são relativamente novas, enquanto que os alimentos foram consumidos desde tempos ancestrais.

Por exemplo, muitas carnes e produtos de origem animal são uma boa fonte de ácidos gordos omega-3, a gordura que realmente contribui para a saúde do coração e aumenta a sua capacidade de queimar gordura. O mesmo ocorre com as gorduras que se encontram nas nozes, abacate e alguns óleos, como o de coco, de oliva e canola. A carne proveniente de gado alimentado com pasto é a melhor para o seu alto teor em ácidos gordos omega-3.

A dieta baixa em gorduras proíbe o consumo destes alimentos, pois contêm gordura saturada e colesterol. O que não avisam é que nem todas as gorduras são más, também o colesterol. Outro exemplo: os ovos são um dos alimentos mais saudáveis do planeta, estão cheios de vitaminas e minerais, além de potentes antioxidantes.

A DIETA BAIXA EM GORDURAS E REDUZ OS NÍVEIS DE TESTOSTERONA
Um dos fatores mais importantes para manter os níveis saudáveis de testosterona em homens é consumir uma quantidade saudável de gordura. Não tem que ser o tipo de gorduras não saudáveis, como gorduras trans, mas os homens sim precisam de um consumo de gordura suficiente para se manter saudável e com mais energia.

A testosterona é um hormônio muito importante, tanto em homens como em mulheres. As dietas baixas em gordura podem reduzir significativamente os níveis de testosterona.

Os ácidos graxos Ômega-3 e gorduras saturadas são essenciais para a produção normal de testosterona. Todos os hormônios esteróides são produzidos a partir de colesterol e quando as gorduras são deficientes na dieta, diminui este processo. As dietas com alto conteúdo de proteínas, pobre em carboidratos e moderada em gorduras conseguem ótimos níveis de testosterona.

CONCLUSÃO
Com o exposto neste artigo não queremos incitar ao consumo de alimentos gordurosos em sua dieta. O ideal é conhecer os diferentes tipos de gorduras e conhecê-las a distinguir a hora de escolher um alimento e não outro.

Certifique-se de consumir gorduras boas, seguindo estas dicas:

Coma mais peixe, nozes e sementes. Por exemplo: prefira o salmão em vez de bacon para o almoço, escolha frutos secos sem sal, em vez de batatas fritas para o lanche.
Retire a pele das aves e elimine a gordura visível dos cortes de carne vermelha.
Verifique o conteúdo dos produtos alimentares lendo as etiquetas.
Use óleos poli-insaturados, como o de abóbora, para barrar no pão, em vez de usar margarina.
Evite fritar os alimentos, em vez disso, prefere cozinhar a vapor, assar, cozinhar ou grelhar.
Substitua a maionese por iogurte natural. Você só deve adicionar um toque de suco de limão e algumas ervas mistas.