Existem-os-genes-da-obesidade

Existem os genes da obesidade?

Apesar do que dizem os cientistas, sobre a existência de genes que podem causar a obesidade, é muito provável que isto não seja assim.

As primeiras evidências mostrariam que uma em cada três pessoas contêm os dois genes da obesidade, mas, no entanto, não subir de peso.

Em contrapartida, os estudos realizados nos Estados Unidos demonstraram que é menor a quantidade de pessoas que têm esses genes, quase a metade.

No entanto, nos Estados Unidos, pode-se ver que muitas pessoas sofrem desta doença. Poderíamos concluir que os japoneses estão fazendo algo certo.

Portanto, se você não pode baixar de peso, pode ser que seja por esses genes que estão em seu DNA. Sua culpa então não é. Se você vive tentando perder peso e não consegue, então teremos que considerar as causas genéticas.

GENE ADRB2

Este gene, chamado ADRB2 é um dos que produz obesidade. Isso se deve justamente a que este gene produz um armazenamento de energia em seu corpo, inclusive quando você não gasta toda a energia que está consumindo. Portanto, funciona como um modo de baixo consumo ou armazenamento.

O problema se apresenta justamente quando a quantidade de energia consumida é maior do que o que se gasta. Neste caso, o excesso é armazenada no corpo em forma de gordura pertencentes ao tecido adiposo do corpo.

Embora este gene existe desde que existe o homem, em outros tempos não enviam os inconvenientes que agora, sim, já que antes a comida não inundada. Aqui, então, deriva o principal problema das pessoas que não podem equilibrar o seu peso.

Este é o gene que se encontrou em uma de cada três pessoas no Japão. Estes indivíduos não podem consumir mais de duas mil calorias por dia. Isto se deve a que possuem esse gene, que fará com que aumente de peso mais rapidamente.

DE QUE SE TRATA O GENE DA OBESIDADE

Os genes que estamos falando neste artigo não são qualquer gene, mas que são compostos de vários tipos destes genes e se relacionam diretamente com o funcionamento do seu metabolismo, o que faz com que aumente ou diminua de peso.

Mas isso não quer dizer que você seja totalmente passivo sobre isso e não poder fazer absolutamente nada. Se bem que esta doença está se reportando a nível mundial, como um dos inconvenientes maiores da atualidade, é muito importante que as pessoas tenham em conta que existem outros fatores que geram obesidade e que trabalham junto com esses genes.

Se bem que são muitos os genes que descobriram que trabalham em prol da obesidade, são dois dos nomeados pelos especialistas como os que lideram o grupo dos outros. Estes são o receptor adrenérgico beta (ADRB2), e thermogenin, que também é conhecida como a proteína 1 (UCP1).

O gene ADRB2 gera o armazenamento extremidade de energia no corpo adiposo, em forma de gordura, não permitindo que a energia restante está queimando. Faz com que o metabolismo funcione lentamente.

O gene UCP1 não permite que a energia armazenada em forma de gordura seja ativada rapidamente para ser eliminada e diminui a ação do metabolismo.

GENE UCP1

Este gene está presente em uma a cada quatro pessoas no Japão. O que gera nas pessoas é que as células que se encarregam de ativar a queima de gordura sejam abusados em sua funcionalidade.

Portanto, a gordura que você tem guardada no seu corpo, você não poderá removê-la de uma forma simples, e só servirá para manter o calor quando frio. Desta forma, queimar gorduras será uma tarefa mais difícil para você para ganhar peso de uma forma muito mais fácil.

QUAIS SÃO AS SOLUÇÕES

Confiando na genética, pode ser que você encontre a solução para os genes da obesidade em um futuro próximo. A tecnologia vai avançando aos poucos e todos os anos são descobertas novas coisas.

Hoje em dia, é possível saber se você tem ou não o gene da obesidade. Para saber isso, você terá que tomar uma amostra de sua própria saliva e enviá-las para que se possam realizar os testes de DNA necessárias. Para tomar a amostra precisará somente de um cotonete.

Depois de obter os resultados, se no seu caso desse positivo, pode também aceder a como manter o peso equilibrado e como fazer para não ganhar peso. Toda esta informação virá com os dados de sua análise.

QUE EXERCÍCIO VOCÊ DEVE EXECUTAR E QUAL O TIPO DE DIETA

exercicio físico saudavelSe bem que aqui falamos sobre os genes que produzem a obesidade, e os que podem chegar através da análise que se fez do DNA, também existem aqueles genes que são anti-obesidade, e o mais importante deles é chamado de ADRB3. Este gene também estará presente na análise de saliva, se é que você o tem.

Tenha em conta que as pessoas que possuem o gene ADRB2 são mais propensas a engordar quando consomem muitos açúcares, em contrapartida, aquelas que possuem o gene UCP1 são mais propensos a engordar quando consomem mais gorduras. Se, em vez, uma pessoa possui dois genes, o indivíduo vai subir de peso, de qualquer forma.

Muitas pessoas têm começado uma dieta ou que tenham passado de uma rotina de alimentação para outro, sem saber porque não tiveram efeito sobre a sua pessoa. Mas se têm esses genes, e é por isso que não estavam a descer de peso. As dietas que recomendamos serão baixas taxas de açúcares e gorduras.

Consulte com um nutricionista para começar agora mesmo com um novo plano de alimentação e uma rotina de treino que lhe permita acelerar o metabolismo. Emagrecer não é tão difícil.

GENE ADRB3

Aquelas pessoas que tiveram a sorte de nascer com o gene ADRB3, não chegarão a ser gordinho, porque o seu metabolismo funciona de uma forma completamente mais rápida do que nos outros casos.

Muitas pessoas se perguntam porque alguns indivíduos nunca aumentam de peso, além de que passem a comer açúcares e gorduras. Pois bem, toda esta comida não vai parar a um buraco negro, já que ninguém tem isso dentro do corpo, mas que a eliminação destas substâncias é explicado pelo funcionamento do metabolismo.

Os pesquisadores japoneses, portanto, são tratadas tendo em conta a obesidade como um problema gerado pelos genes na maioria do mundo, mas no Japão se faça a diferença.

CONSEQUÊNCIAS DE TER O GENE DA OBESIDADE

Possuir o gene da obesidade não quer dizer que você vá para ser gorda para o resto de sua vida. E também não quer dizer que tem que ser gordo agora mesmo. O que se quer dizer é que vai custar mais do que outras pessoas, perder peso.

Mas as dietas e o exercício si terão efeito na sua pessoa, se você leva a sério. Incluso se tem o metabolismo lento, a dieta e o treinamento podem ajudar a perder os quilos extras.

A única coisa que terá que fazer é ir a um especialista que o ajude e orientação a cumprir determinadas metas, todas as semanas. Aprender a emagrecer não será difícil.

Tenha em conta que as pessoas que têm o gene ADRB2, conhecido como o gene poupança, serão mais propensas a armazenar gordura debaixo de seus músculos, o que pode gerar problemas de saúde no futuro.